• Ceura Nolasco

Quando muda o contrato da relação, não há mais integração! Por quê?

Atualizado: 14 de Ago de 2020

Você já teve uma amiga muito apaixonada e que de repente, do nada passou a queixar-se dele como nunca?… Ou um amigo que disse para você. … – eu não estou entendendo nada, tudo estava tão bem e de repente meu futebol virou um inferno para ela…

Nossos encontros estabelecem CONTRATOS invisíveis que determinam o foco da relação… Até que um dos dois resolve mudar o contrato.

Dizem que este contrato se estabelece entre os casais nos primeiros 5anos da interação!

Quando ambos se apresentam e dizem o que desejam da vida naquele momento, quem sou o que quero, e para onde vou!

Você Vem sempre aqui?…

Não é a primeira vez… eu também !

Gosta de dançar?

Um pouco, vim com um camarada meu, ele gosta!

Toda interação humana estabelece o contrato interativo, dos amigos do futebol, as melhores amigas do chá de panela, até mesmo quando você contrata a empregada: está criando um contrato interativo que norteará o como vocês surfarão juntos/as nesta onda!

O que acontece então com os casais?…

Quando nos apaixonamos não prestamos a atenção no contrato! Estamos apenas e simplesmente vivendo a ilusão do amor… tudo dá… tudo serve… tudo pode… os homens enlouquecem e as mulheres emburrecem! e …o andar da carruagem faz com que muitas expectativas sejam almejadas , a realidade chega enfim aos nossos olhos  e,  ai vem as proposições não alcançadas …e : tudo muda!

O que servia antes não serve mais!

E vocês sabem quem são as rainhas da mudança de contrato? … Nós mulheres!

Em pesquisa comprovada, nós mulheres é que mudamos o contrato das relações em uma proporção de 90% para 10% para os homens… Pode?

Eles os homens muito pouco mudam os contratos, eles ficam perdidos com a nossa mudança, ou desejo de mudança.

Nós mulheres mudamos sim… Somos seres de infinitas possibilidades, mudamos a cada 21 dias, em nossos ciclos hormonais, e colocamos esta infinitude de nuances, mesmo não desejando, em nossas interações!

Somos nós mulheres que mudamos a forma ,gestamos, criamos a vida e a transformação nos transforma… O que nos agradava antes, não agrada mais… E ai… tentamos mudar o contrato da relação.

E sabem o que acontece?…ambos saem  da relação sem se dar conta , pois não há mais motivação e sim chateação !

A mudança do contrato da relação é inerente a existência evolutiva de todo ser humano, o fato é que nós mulheres atropeladas por tantos papeis… não damos conta de tratar a questão com a  amorosidade necessária e  de convencer o parceiro a nos acompanhar ….e ao invés disto queremos que ele adivinhe quando não estamos afim de transar porque cuidamos dos pequenos até eles nos esgotar  ou porque em um trabalho que fizemos descobrimos um outro ponto erótico e ele não advinha onde é….

Nossos papeis femininos, nossa posição feminina muda a cada nova postura… mulher, profissional, mãe, amante, …e mudamos nossos desejos emocionais de nutrição… e não nos damos conta que eles os homens não mudam sua satisfação…

Somos nós que mudamos, eles não…

Nós mulheres fluímos por sete possibilidades de funcionamento do campo emocional. Os homens fluem por apenas quatro. A lógica é bioquímica, neurológica, e matemática.

Quanto mais possibilidades maior a oscilação, quanto menor a possibilidade menor a oscilação!

Assim, muitos homens desencantam de suas mulheres sem terem a menor chance de entender o que está acontecendo no complexo mundo feminino. Eles simplesmente olham em volta e não encontram mais a companheira desejada e… como eles são muito simples em seu funcionamento … partem em busca da satisfação!…

Nós brigamos até termos a certeza de que nossos novos princípios ultrajados nos fazem sentir a dor da traição dos novos valores… é uma armadilha feminina : enrredamo-nos  em torno de nós  mesmas quando o contrato muda! Ao invés de negociarmos amorosamente, brigamos, sofremos, enchemos os ouvidos da melhor amiga por meses com o mesmo assunto, e tentamos inadequadamente convencer o outro de nossa verdade… o novo contrato!

Só que é este é o melhor para nós… nem sempre é para ele!

Muitos bancos de terapia de casal simplesmente servem como uma preparação menos indolor para a morte do ser da relação que jaz moribundo diante da fobia absoluta de transpormos a ponte da mudança, devagar, com amor e aceitação dos limites e desejos de cada um!

Ambos precisam mudar o contrato!

Esteja atenta amiga/amigo… mudar é preciso, porém amar e ser amado também é preciso e para isto, aceitação e negociação serão as molas mestras desta interação!

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo